A delegada Elizabeth de Paula, titular da Delegacia Especializada em Apuração de Atos Infracionais (Deaai), divulgou nesta quarta-feira (9) um balanço do número de jovens infratores apreendidos. No total são mais de 1,5 mil em sete meses, cerca de 7 por dia.

Os dados são da Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM) e, segundo a pasta, 75% dos apreendidos são do sexo masculino.

Delitos mais cometidos

Segundo a delegada Elizabeth de Paula, os atos infracionais que mais causam apreensões de adolescentes são tráfico de drogas e roubo.

“Os dois crimes se misturam entre si, porque o adolescente ou rouba para adquirir a droga ou ele está usando droga e vai roubar. É um ciclo vicioso porque, como o tráfico é um comércio ilegal, eles precisam ter outra forma de comprar a droga. Por conta disso, eles cometem um ato infracional rápido, de forma que ele possa ter dinheiro para comprar droga”, explica.

Atenção redobrada

A autoridade policial ainda afirma que os pais devem redobrar atenção ao comportamento dos filhos, já que os adolescentes dão sinais quando começam a se envolver no mundo do crime.

“Os pais têm que saber com quem o filho está andando, onde o filho está e, principalmente, fazer o acompanhamento na escola, sabendo como está o filho, porque, da maioria dos casos que chegam aqui, os pais não sabem nada da vida do filho. O jeito do adolescente se vestir muda, a conversa dele muda, tudo muda. Não é algo que acontece rápido. O que acontece rápido é a apreensão. Mas aquele adolescente já veio se transformando ao longo dos anos”, disse a delegada.

Elizabeth de Paula também contou que, dos casos que chegam até a Deaai, o que se pode perceber é que os pais até identificam a mudança de comportamento do filho, mas não querem entrar em um confronto direto, já que é a adolescência é uma fase de transição.

Palestras

Há três anos, a Deaai faz palestras em escolas públicas municipais e estaduais da capital, realizando um trabalho de orientação com os jovens e com os funcionários. Para os gestores de escolas que queiram a parceria da Deaai, basta procurar a sede da especializada, localizada na avenida Desembargador João Machado, bairro Flores, zona centro-sul de Manaus.

Programa Educacional na Polícia

O Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência (Proerd), da Polícia Militar do Amazonas, foi implantado no Estado em 2002. Ele aplica técnicas centradas na resistência à pressão de grupos, auxílio na tomada de decisões para dizer não as drogas, desenvolvimento de habilidades que levem a motivação.

O Programa é também um conjunto estratégico que objetiva educar, principalmente, as crianças e adolescentes em seu meio natural, a escola.

São desenvolvidas atividades interativas auxiliadas pelo policial instrutor, juntamente com o professor, que objetiva que crianças e jovens desenvolvam uma atitude positiva em relação às autoridades e respeito às leis.

“O programa trabalha com o currículo Kids, currículo 5º e 7º ano, além do currículo ‘Pais’, tendo a oportunidade de trabalhar todas as faixas etárias. Nossa grande atuação acontece nas escolas, mas trabalhamos também com palestras e procuramos estar em todas as ações sociais realizadas pela instituição, principalmente as que envolvem crianças e adolescentes”, explica o coordenador do programa, major Alisson Henriques.

Além da capital, o Proerd também está presente nos municípios de Barcelos, Barreirinha, Carauari, Coari, Humaitá, Itacoatiara, Jutaí, Manacapuru, Manicoré, Parintins, Tefé, Urucará, Lábrea e Tabatinga. Em 2019, o programa já teve 25.771 alunos.

Gestores que queiram o programa dentro da unidade escolar devem enviar um requerimento ao Comando Geral da Polícia Militar.

 

FOTO: Divulgação/SSP-AM